.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Jesus repreende severamente a Pedro para que não se oponha ao plano divino de redenção. -Alexandre Soledade




Bom dia!
Fico a imaginar o quanto Pedro ficou confuso após esse dialogo ou conjunto de diálogos. Independentemente se logo de imediato ou um pouco após a sua “elevação”, se assim posso dizer, de Pedro, Jesus o repreende severamente para que não se oponha ao plano divino de redenção.
É claro e evidente que Pedro não queria impedir ou determinar o que Jesus deveria ou não fazer, mas que ele, Pedro, deixava nítido seu apego emocional a pessoa de Jesus por um sentimento que conhecemos bem. Vou explicar
É sabido que Pedro era um dos mais velhos (ou o mais velho deles), que seu jeito turrão de ser, como outras tantas pessoas que conhecemos, não se moldaria a um novo jeito se não fosse encantador ou valesse muito a pena. Suas palavras revelam um profundo desejo que o mestre não o deixe. Mais que um ato “egoísta” ou petulante, Pedro deixa escapar que na verdade tem medo. Jesus chamava na verdade a sua atenção para isso. “(…) Saia da minha frente, Satanás! Você é como uma pedra no meu caminho para fazer com que eu tropece, pois está pensando como um ser humano pensa e não como Deus pensa”.
Foi o medo que o fez afundar na tentativa de andar sobre as águas; por medo que negou Jesus três vezes, por medo também, após a crucificação, se escondeu no cenáculo com os demais (…). Temos muito de Pedro, mas se resolvermos, como ele, ligar algo na terra, também com certeza, será ligado no céu.
Nós ligarmos? Sim! Nosso Senhor conhece bem a quem escolheu. Você, eu, ele, (…), conhece cada uma das nossas limitações e fraquezas, mas conhece também o que cada um pode fazer se, apesar das fraquezas, resolver continuar a acreditar que tudo é possível.
“(…) Deus conhece o caminho para encontrá-la, é ele quem sabe o seu lugar, porque ele vê até os confins da terra, e enxerga tudo o que há debaixo do céu”. (Jó 28, 23-24)
Ontem na reflexão quando grifei “surpreendido”, referindo-me a fé da mulher que não desistia de segui-lo, e que mesmo com todos os contras queria dizer o quanto Jesus ficara feliz de encontrar pelo menos uma que valha a salvação de todos nós.
Diferentemente de Pedro, a jovem ou mulher o evangelho de ontem, não tinha medo, pois o motivo do seu empenho valia qualquer que fosse o esforço ou constrangimento imposto. Como não associar então a fé daquela moça ao evangelho de hoje? “(…) Eu lhe darei as chaves do Reino do Céu; o que você proibir na terra será proibido no céu, e O QUE PERMITIR NA TERRA SERÁ PERMITIDO NO CÉU”. Ela quis tocar o Senhor com sua fé e teve seu pedido acatado!
Outro ponto importante…
Pedro é um dos pilares da nossa igreja e sob seu testemunho de vida e de fé também celebramos. Caminhado para o dia dos pais, como não convocar aos pais a assumirem novamente a posição de pilar de sua família? Quantos pais, por medo de crescer, pavor da responsabilidade e receio do fracasso tornaram-se “melhores amigos” dos seus filhos esquecendo que primeiramente devem ser pais?
Pai é também aquele que por seus filhos tenta andar sobre as águas e arrisca também a falhar; é aquele que clama a Deus que os guarde de todo mal, na esperança que isso também seja ligado no céu; é aquele que não omite seus medos nem suas falhas; aquele que após negar “troscentas” vezes, cai na real e volta a acreditar que Deus tem um plano traçado para sua vida na vida de outras pessoas que ele o confiou.
Um imenso abraço fraterno!


Um comentário:

Estefania Cardoso disse...

Parabens, pelo texto ... precisamos de Fe e amor nos dias de hoje... no mundo hoje, por que se conformar com ele realmente nao da.

Postar um comentário