.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

TODO O RESTO VEM POR ACRÉSCIMO – Maria de Lourdes Cury Macedo.


Domingo, 18 de junho de 2017.
Evangelho de Mt 6, 22-34.

         A lâmpada do corpo é olho, disse Jesus, que sabedoria infinita. Santo Agostinho explica que o olho significa a intenção. Se a intenção é boa, as obras também serão boas. Se é má a intenção, por melhor que seja, as ações serão más. Jesus se refere ao olho, isto é, ao coração, a inteligência, a consciência, a intenção, a alma iluminada pela fé.
Jesus nos adverte que é impossível servir a dois senhores  que indicam caminhos opostos. De um lado, há os caminhos de Deus, ensinando o desapego das riquezas, a renúncia, a humildade, a abnegação. De outro, o mundo atraindo para o egoísmo, para a conquista, a dominação pela força, a grandeza. Jesus não condena a posse de riquezas, mas o apego exagerado a elas. Quando a pessoa só pensa em ter mais, cada vez mais, o seu coração endurece para as necessidades do outro. Quando o “culto ao dinheiro” toma conta do coração, “tornamo-nos incapazes de nos compadecer do clamor dos outros, já não choramos diante do drama dos demais” (Papa Francisco).
O que Jesus condena é a idolatria do dinheiro quando toma o lugar de Deus. Assim o dinheiro passa a ser o “senhor” da nossa vida, e a ele passamos a servir, nos tornando escravos dele. Quem é escravo do dinheiro se torna uma pessoa dura, mesquinha, insensível e insaciável, encaminhando suas energias apenas para os bens materiais. Quando isso acontece o dinheiro torna o maior inimigo do mundo desejado por Jesus, um mundo fraterno e solidário, preocupado com a justiça.
Jesus não questiona tanto a preocupação com o dia de amanhã, mas em quem depositamos a confiança. O ser humano necessita de alimentos, roupas, remédios, lazer, tudo isso faz parte do nosso existir, Jesus questiona ao que damos maior valor, às coisas materiais ou em construir o Reino de Deus. Jesus nos ensina confiar na providência divina, façamos a nossa parte, Deus a seu tempo fará a sua parte. Jesus não manda que procuremos exclusivamente o Reino de Deus, desprezando as necessidades materiais. Mas ele pede que coloquemos em primeiro lugar as preocupações espirituais, sem desprezar as outras. Insiste que não vivamos como se tudo conseguíssemos sem Deus. O Reino de Deus consiste na justiça e santidade de vida. O cristão deve trabalhar guiado pela fé, reconhecendo que tudo vem de Deus, e que o ser humano nada é sem a bênção divina.
Jesus quer nos alertar que essa vida terrena é passageira e por isso não temos que nos preocupar tanto com ela, pois os bens temporais acabam. Ele nos exorta a preocuparmos com a vida espiritual que não acaba nunca, que é eterna. Quem vive neste mundo preocupado com as coisas de Deus pode dizer-se rico, rico para o Reino do céu.
Jesus chama a nossa atenção para as aves do céu e para os lírios do campo, querendo nos mostrar o cuidado com que Deus conserva tudo quanto criou. Os pássaros são simples, pequenos, frágeis e só têm a vida terrestre. No entanto Deus os sustenta a todos. Se Deus cuida assim dos pequeninos, muito mais cuidará do ser humano, que criou e escolheu para ser seu filho. Por isso Ele nos alerta para observamos a nossa volta, se Ele cuida com tanto carinho da erva do campo, das suas criaturinhas, quanto mais de nós seres criados `a sua imagem e semelhança.
Eles não têm celeiros abarrotados de comida, cada dia eles buscam o seu sustento. Com isso Jesus quer nos ensinar que não adianta ter muito dinheiro, ser milionário, porque a riqueza não garante quanto tempo de vida teremos. O fim é igual para todos, as doenças, as dores, a morte e o juízo particular. As riquezas deste mundo não nos acompanharão. A virtude, as boas obras é a única coisa que nos acompanhará quando partirmos desta vida. Não devemos acumular bens só para nós, mas devemos partilhar com os irmãos os bens que conseguimos ganhar honestamente.
Jesus nos ensina que não podemos ser avarentos, egoístas, preocupados demais com as coisas passageiras deste mundo. Isso não quer dizer que não devemos trabalhar e nem poupar para o futuro. Não significa que deveremos ficar de braços cruzados, sem fazer nada, aguardando que as coisas caiam do céu. Significa, como diz Jesus, ao fim do Evangelho de hoje, que deveremos trabalhar buscando o Reino de Deus e sua justiça em primeiro lugar e, consequentemente, Deus nos dará todas as coisas em acréscimo. Trabalhar pelo Reino e por sua justiça é trabalhar para que todos tenham emprego, assistência médica, escola, lazer, enfim, tudo aquilo de que o ser humano necessita para viver sua dignidade de filho de Deus. Infelizmente milhões de pessoas vivem em situações miseráveis, abandonadas pelas autoridades que vivem os valores do mundo e não o do Reino. É o que estamos assistindo todos os dias na televisão, nos jornais.
Em qualquer situação de nossa vida, devemos confiar na Providência divina. Na vida e na morte, nas necessidades de bens materiais confiemos no amor de Deus. Ele nos socorre por meio de um irmão, de um conhecido, até por desconhecidos. Podemos confiar sempre em Deus, porque ele não nos desampara, ele nos ajudará através de nosso esforço, de nosso trabalho e de outras pessoas generosas que sempre estão prontas para socorrer quem precisa.  
Jesus nos fala das aves e das plantas para mostrar que devemos ter confiança na Providência Divina. Se Deus cuida das aves e dos lírios do campo, não cuidará dos homens, criaturas racionais, criadas à sua imagem e semelhança?

Abraços em Cristo!!!
Maria de Lourdes


2 comentários:

Anônimo disse...

Bela reflexão!

Josiane

Anônimo disse...

gostei muito da explicação do evangelho.Confiar na Providência Divina ficou bem evidenciado.
Ermeni

Postar um comentário