.

I N T E R N A U T A S-M I S S I O N Á R I O S

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS

e RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES.

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PARA PESQUISAR NESTE BLOG DIGITE UMA PALAVRA, OU UMA FRASE DO EVANGELHO E CLICA EM PESQUISAR.

domingo, 1 de maio de 2016

.

02 DE JUNHO SEGUNDA-FEIRA

A Igreja Mistérica e a Igreja institucional-Diac José da Cruz

“O TESTEMUNHO DO ESPÍRITO” (Pe. Jaldemir Vitório)

HOMILIAS DO PRÓXIMO DOMINGO


VEJA AQUI MAIS HOMILIAS DESTE DOMINGO

================

 

 

VISITE  A NOVA PÁGINA

REFLEXÕES RECENTES E ANTIGAS

 CLICA AQUI



REFLEXÕES RECENTES E FUTURAS


01 DE MAIO-DOMINGO

“SE ALGUÉM ME AMA, GUARDARÁ A MINHA PALAVRA...” – Olivia Coutinho

O discurso de despedida de Jesus-Padre Reginaldo Ghergolet


Aqueles que não estão em sintonia com o projeto do Pai agem por ignorância-Helena Serpa


02 DE JUNHO SEGUNDA-FEIRA

A Igreja Mistérica e a Igreja institucional-Diac José da Cruz


“O TESTEMUNHO DO ESPÍRITO” (Pe. Jaldemir Vitório)


03 DE JUNHO TERÇA-FEIRA

04 DE JUNHO QUARTA-FEIRA

"TENHO AINDA MUITAS COISAS A DIZER-VOS...” Olivia Coutinho.



05 DE JUNHO QUINTA-FEIRA

“A VOSSA TRISTEZA SE TRANSFORMARÁ EM ALEGRIA. ”Olivia Coutinho



06 DE JUNHO SEXTA-FEIRA
07 DE JUNHO SÁBADO
08 DE JUNHO DOMINGO

segunda-feira
terça-feira
quarta-feira
quinta-feira
sexta-feira
SÁBADO
DOMINGO

segunda-feira
terça-feira
quarta-feira
quinta-feira
sexta-feira
SÁBADO
DOMINGO

segunda-feira
terça-feira
quarta-feira
quinta-feira
sexta-feira
SÁBADO
DOMINGO



========









“A VOSSA TRISTEZA SE TRANSFORMARÁ EM ALEGRIA. ”Olivia Coutinho

 
Dia 05 de Maio de 2016
 
Evangelho de Jo16,16-20
 
Mais importante do que ser um admirador  de Jesus, é trazê-lo para dentro de nós, É transformar o nosso  coração, num sacrário vivo onde Ele possa habitar!
Ter Jesus como hóspede permanente no nosso coração é colocar a nossa vida a disposição de Deus, pois é de dentro do nosso coração, que Jesus age em favor do outro!
Não basta sabermos  que Jesus é Deus, isso, até os seus inimigos sabem, é precisamos  fazer a diferença, isto é, comprometermos com a sua causa!
O primeiro passo de quem deseja  comprometer-se   com Jesus, é aproximar Dele, é conhecê-Lo melhor, ser seu discípulo!
No evangelho de hoje, Jesus, com a proximidade de sua volta para o Pai, fala mais uma vez para os discípulos,  sobre a necessidade de uma separação temporária entre eles.
Os discípulos, já vinham ouvindo as revelações de Jesus  a respeito do desfecho de sua trajetória terrena, o que os entristeciam  muito.
Humanamente, era muito difícil para eles aceitarem o que estava por vir.
Além de não entenderem  a necessidade daquela separação, eles pensavam que jamais dariam conta de realizar  a missão que a eles fora confiada,  sem a presença orientadora do Mestre! Jesus compreendia a dificuldade deles em assimilar tudo aquilo,  por isto,  procurava consolá-los, reafirmando que Ele não os deixaria órfãos.
Ao se cumprir a promessa feita por Jesus, isto é: com  a vinda do Espírito Santo, a alegria voltou a reinar nos corações dos discípulos!
 Foi a partir de então, que eles assumiram com coragem e motivação, a missão deles: Anunciar o reino de Deus, ou seja, dar continuidade a missão iniciada por Jesus aqui na terra!
A alegria da vinda do Espírito Santo, que contagiou os primeiros cristãos, hoje nos contagia também, afinal, é o Espírito Santo que move todo o nosso ser cristão! 
É o Espírito Santo que abre a nossa mente, que nos faz compreender os ensinamentos de Jesus, que nos impulsiona a participar da construção ou reconstrução deste mundo tão distante de Deus! 
A alegria,  de quem é conduzido pelo Espírito Santo de Deus, é uma alegria consistente, duradoura,   diferente das  alegrias superficiais proporcionada pelas coisas do  mundo!
Num coração que se abre à luz do Espírito Santo, não existe espaço para dúvidas, para medos, incertezas...

FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho

Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook:

"TENHO AINDA MUITAS COISAS A DIZER-VOS...” Olivia Coutinho.

 
Dia 04 de Maio de 2016
 
Evangelho de Jo16,12-15
 
 
Jesus tem várias formas de comunicar conosco! Ele nos fala através da Sagrada Escritura, dos acontecimentos, da natureza, das pessoas, mas por andarmos  distraídos, nem sempre captamos a sua mensagem!
Quem anda distraído, não está aberto ao Espírito Santo, por isto perde a  oportunidade de ver, de ouvir e de sentir a presença de Jesus no seu cotidiano.
É o Espírito Santo que clareia a nossa mente, que nos faz ouvir e entender a mensagem de Jesus! Sem estarmos  abertos ao Espírito Santo, a mensagem de Jesus, não entra  no nosso coração, cai  no vazio!
No evangelho que a  liturgia de hoje nos apresenta, vemos mais uma vez, a preocupação de Jesus com os seus  discípulos!
Apesar de uma convivência direta com Jesus,  os discípulos  tinham muitas dificuldades em compreender as últimas revelações de Jesus a respeito do final de sua trajetória terrena!  E Jesus, por sua vez, compreendia essa dificuldade deles, por isto tinha muita paciência com eles, estava sempre tentando conscientiza-los da importância de guardarem as suas  palavras mesmo sem entendê-las.  Jesus  garantia-lhes que o Espírito Santo, que desceria sobre eles,  após o seu retorna para o Pai, os faria entender o que até então, era de difícil compreensão para eles.  
“Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de compreender agora. Quando, porém vier o Espírito da verdade, ele vos conduzirá a verdade.” Estas palavras de Jesus, dirigidas aos discípulos, chama a nossa atenção, para a importância de estarmos sempre abertos a ação do Espírito Santo!
 É o Espírito Santo, que nos faz compreender, nas mais diversas  circunstâncias de nossa vida, o sentido das palavras de Jesus, guardadas no nosso coração!  Daí, a importância de guardarmos sempre as suas palavras, mesmo sem compreendê-las.   
Tudo muda em nós, quando deixamos nos conduzir pelo Espírito Santo, as tristezas se transformam em alegrias, as lágrimas em sorrisos, a desesperança vira certeza e  o desanimo  motivação!
O Espírito Santo nos revigora nos impulsiona a sairmos do nosso comodismo para lançarmos sem medo no campo vasto da evangelização, sem a preocupação de saber o que fazer como fazer, afinal, é o Espírito Santo que nos indica onde e como devemos atuar!
 O Espírito Santo é o guia que nos remete ao coração do Pai, que nos faz entender com profundidade a sua palavra, onde está explicita a sua vontade!
 A  presença do Espírito Santo em nós, é tão forte, que nos faz enxergar além do horizonte  o  que os nossos olhos não   alcançam!
Quem está aberto ao Espírito enxerga  com os olhos coração!

FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho

Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook:

É preciso atualizar-Diac José da Cruz

                          QUARTA FEIRA DO TEMPO PASCAL 04/05/2016
1ª Leitura Atos 17, 15.22-18,1
Salmo 148 ,1 “Nos céus, louvai o Senhor,louvai-o nas alturas do firmamento”
Evangelho  João 16, 12-15

Já imaginaram um site de notícias que só é atualizado de vez em quando ou nunca é atualizado? O segredo para se fazer sucesso é diariamente ter o site atualizado, o internauta entra uma vez, e ao perceber que as notícias são "velhas" nunca mais acessam. Algo parecido ocorre com a Palavra de Deus que Jesus nos trouxe, Ele é o Verbo Encarnado, como afirma São João, entretanto, Jesus de Nazaré viveu em um contexto histórico, religioso, político e social lá do Oriente Médio, diferente da Pós modernidade de 2013, com o mundo globalizado.
Os problemas que enfrentou os desafios que teve de encarar, foram diferentes dos que hoje os cristãos do mundo inteiro enfrentam e além do mais, o Cristianismo naqueles primeiros tempos estava fechado em uma religião, e trazia uma identidade da tradição de Israel. Há muitos cristãos sonhadores que hoje se perguntam "O que será que Jesus faria em meu lugar nos dias de hoje, que ensinamentos daria, que orientações faria aos discípulos, que atitudes iria tomar..."
O evangelho de hoje responde direitinho essa questão, se o Jesus Histórico não está em nosso meio, o seu Espírito Santo, enviado pelo Pai está presente em sua Igreja e na vida dos que creem. Não se trata de um Espírito Mágico, monopólio de uma Religião ou Igreja, aprisionado em uma doutrina, e que de vez em quando faz revelações surpreendentes. Nem é preciso entrar em transe, para atingir o alfa como pensam alguns orientais.
A missão do Espírito é atualizar o Anúncio de Jesus com uma ação evangelizadora eficaz, que tenha força de tocar no coração das pessoas. Trata-se do mesmo Cristo, do mesmo evangelho, da mesma Verdade e da mesma Revelação, porém atualizada para os dias de hoje, pois nosso Deus não é igual aqueles Velhos Resmungões que fica choramingando pelos cantos, dizendo que no seu tempo as coisas eram melhores....
O Espírito renovador, santificador e restaurador, inspira os cristãos a como agir nos dias de hoje. Na comunidade apostólica o Espírito Santo recordou tudo o que Jesus ensinou, hoje ele nos recorda e vai mais longe: define uma autêntica prática cristã, para se fazer o anúncio e dar o testemunho, que é tão eficaz como o testemunho das primeiras comunidades. Porque muitas vezes imaginamos que o fervor cristão vai diminuindo com o passar do tempo, mas é o contrário, o Espírito Santo garante essa ebulição por todo o sempre. E assim, aos cristãos de cada tempo o Espírito se manifesta e atualiza a Santa Palavra anunciada, tornando-se sempre nova e restauradora, não permitindo que se torne uma Velharia do passado, mas algo muito atual, seja qual for o tempo em que se vive....


Senhor, mostra-nos o Pai-Diac José da Cruz

TERÇA FEIRA SÃO FELIPE E SÃO TIAGO APÓSTOLOS 03/05/2016
1ª Leitura 1 Cor 15, 1-8
Salmo 18 (19), 5 “Porque por toda terra se espalha o seu ruído e até os confins do mundo a sua voz”
Evangelho João 14, 6-14

" Senhor, mostra-nos o Pai..."

Hoje é Festa de São Filipe e São Tiago, discípulos e apóstolos de Jesus, ambos tiveram a honra de morrerem martirizados por causa do evangelho. O evangelho de hoje nos mostra o início da experiência que Filipe fez com Jesus. Aqui é importante compreendermos que essa experiência não é um momento único em nossa vida, mas é algo que se propaga no decorrer de toda nossa existência. Entretanto, esse conhecimento de quem é Jesus, essa revelação Divina em nossa vida, não vem já "prontinha"  para consumo, como muitos imaginam....Mas é necessária uma abertura permanente á Graça Divina...abertura onde não podemos ter vergonha de expor diante de Deus as nossas dúvidas e inseguranças, exatamente como fez Filipe.....
Jesus havia dito "Eu sou o caminho, a verdade e a Vida, ; ninguém vem ao Pai senão por mim. Se me conhecêsseis, também certamente conheceríeis meu Pai, desde agora já o conheceis, pois o tendes visto". Para nós leitores deste segundo milênio, longe do contexto em que a reflexão Joanina foi produzida, talvez possamos estranhar, que diante de tal clareza, Filipe ainda não houvesse entendido....fazendo aquele pedido tão estranho "Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta!".
Aqui podemos usar o nosso imaginário, Filipe se inquietava em conhecer o Pai e por isso, ao perceber nas Palavras de Jesus, que havia um Pai, isso é, alguém que lhe era superior, teria afirmado "Queremos falar com quem manda, mostra-nos o Pai e deixa o resto com a gente..."  Entretanto Filipe ainda não tinha entendido que nenhum ser humano conseguirá chegar ao Pai se não for pelo Filho, a Trindade é Una, indivisível, um só Deus em três pessoas e três pessoas em um só Deus, não há um canal em separado para se comunicar com o Pai, outro com o Filho e outro com o Espírito Santo, quando atendemos um celular em um círculo restrito de amigos, e quem nos ligou também pertence a este círculo, ligamos o Viva -Voz para que todos ouçam, assim são nossas orações direcionadas a Deus, onde a Trindade Santa nos ouve.
Filipe, influenciado pelas Teofanias do Antigo Testamento, e provavelmente também pelo Arianismo que apregoava um Jesus inferior ao Pai,  esperava ainda uma revelação espetacular do Pai de Jesus, pois ele estava encantado com Jesus e talvez imaginasse "Se o Filho é assim, imagine o Pai..." Jesus responde e corresponde a todos os nossos anseios e inquietações a respeito de Deus, porque ele é Deus, sem deixar de ser Homem.
E se Jesus nos mostra o Pai, em suas Palavras e atitudes, nós que somos satélites  porque temos em nós a sua Luz maravilhosa, temos que refletir ao próximo um pouco dessa luz, para que Jesus seja conhecido por todos. Mostrar esse Jesus ao outro é mostrar a nossa vida, o que pensamos o que fazemos e como fazemos, afinal, se somos Filhos e Filhas da Luz, não há o que esconder!
Diácono José da Cruz
Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim SP

E-mail cruzsm@uol.com.br

A Igreja Mistérica e a Igreja institucional-Diac José da Cruz

SEGUNDA FEIRA DO TEMPO PASCAL 02/05/2016
1ª Leitura Atos 16, 1-15
Salmo 149,4 a “Porque o Senhor ama o seu povo”
Evangelho João 15, 26-16, 4 a

Dizia-me um aluno da minha classe de Teologia Pastoral para leigos, quando eu falava sobre a História da Igreja e essa tensão entre a Igreja Mistérica e a Igreja institucional: “Nós não podemos fazer a parte que é do Espírito Santo, e Ele também não vai fazer a nossa”.
Achei isso fantástico, não sei como ele deduziu isso, ou ouviu alguém dizer, mas pelo jeito assimilou esse ensinamento como membro de uma comunidade. Fantástico! É isso mesmo... Quando deixamos para o Espírito Santo certas tarefas e incumbências que o Pai nos deu, enquanto missão, não estamos sendo cristãos fervorosos, mas apenas cristãos omissos, e quando queremos e insistimos em fazer algo que compete única e exclusivamente ao Espírito Santo, estamos voltando as origens do Gênesis, tentando ser Deus em sua essência, o mesmo pecado de Adão e Eva.
Talvez o leitor comente consigo mesmo: “ Graças a Deus nunca fiz isso...”. Esse é um pecado que todos nós cometemos. Por exemplo, os irmãos e irmãs da comunidade não são e nunca o serão, do jeito que nós queremos: convertidos, virtuosos, atitudes e pensamentos sempre em harmonia com o que NÓS pensamos e fazemos. Pronto! Aí estamos nós, querendo dar uma de Espírito Santo para mudar aquela pessoa.
Por outro lado, pensemos: como é difícil conviver com pessoas diferentes de nós, algumas são até irritantes, intransigentes, e até mesmo insuportáveis! Eis aí algo que compete a nós, mas que precisamos do Espírito Santo para nos tornar flexíveis e maleáveis. Nos dois casos é o Espírito que age, porém no segundo, que é a questão da flexibilidade e docilidade para com os outros, temos que fazer a nossa parte, esforçando-nos para controlar nossos instintos egoístas e egocêntristas. No primeiro caso nada temos a fazer, pois é o Espírito Santo que vai agir, que vai trabalhar no coração e na vida daquele irmão insuportável, e o Espírito Santo tem um jeitinho especial, personalizado, para renovar cada um de nós, pois ele trabalha a partir daquilo que somos, por uma razão bem simples: Deus nos ama desse jeito, não exige que sejamos do jeito dele, diferente do modo como tratamos as pessoas.
Há neste evangelho uma realidade que motiva a nossa reflexão, a comunidade Judaica, que contém em si o Cristianismo enquanto uma seita, está sempre em conflito com essa. Qual a razão desse conflito, que no ano 90 irá culminar com a expulsão dos cristãos das sinagogas? É simples, a referência do Cristão, única e verdadeira é o Cristo Jesus e Deus Pai que o enviou, e que eles conhecem, não porque ouviu dizer, mas porque conviveram com ele, todos os da Era Apostólica, tiveram esse privilégio, que não foi só dos apóstolos, mas devemos lembrar que uma multidão de homens e mulheres se tornaram discípulos de Jesus. Já os da Comunidade Judaica conhecem apenas o Pai, o Deus da Antiga Aliança, mas não têm o coração fervoroso por causa de Jesus, já que a única referência que têm sobre Deus é a Lei de Moisés.  (Diácono José da Cruz – Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim SP – cruzsm@uol.com.br )



O ESPÍRITO QUE ENSINA!-Diac José da Cruz

VI DOMINGO DA PÁSCOA -  01/05/2016
1ª Leitura Atos 15, 1-2.22-29
Salmo 66/67 “Que as Nações vos glorifiquem, ó Senhor/ que todas as nações vos glorifiquem”
2ª Leitura Apocalipse 21,10 -14, 22-23
Evangelho João 14, 23-29
http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/6o-domingo-da-pascoa-01052016/
                                                          “O ESPÍRITO QUE ENSINA! ”
Tive um amigo que era “fera” em ciências exatas, conhecia e sabia de cor conceitos e fórmulas de matemática, física e química, que assombrava os professores e a todos nós da sua classe, que morríamos de inveja quando o víamos tirar notas altas nessas matérias, sem nunca ser preciso fazer a prova final porque bem antes de encerrar o ano letivo, já tinha fechado todas essas matérias. Findo o segundo grau, prestou vestibular para engenharia sem fazer nenhum cursinho e de maneira brilhante obteve classificação para cursar engenharia. Em certa ocasião encontrei-o na empresa, prestando serviço como auxiliar administrativo em uma renomada empreiteira de montagens industriais e ao perguntar-lhe por que trabalhava como auxiliar se já era engenheiro formado, respondeu-me que queria especializar-se nessa área e que este aprimoramento profissional só era possível se tivesse a prática e daí sim, estaria habilitado para exercer aquela profissão “Na teoria é uma coisa, na prática é outra”, disse-me sorrindo, ao concluir a nossa conversa.
É este precisamente o ensinamento do evangelho desse Sexto domingo da Páscoa: passarmos da teoria à prática da verdadeira religião, que nada mais é do que o amor na relação com Deus e com o próximo, porque parece que as nossas comunidades cristãs, algumas um pouco mais, outras um pouco menos, são todas bem parecidas com o meu amigo dos tempos de escola, vive-se muito uma religião teórica, um amor teórico, nossos conceitos de religião e de amor, segundo o evangelho que aprendemos na catequese e que ouvimos em cada celebração, são os mais belos e verdadeiros, tanto é verdade que Jesus Cristo é conhecido e admirado por milhões e milhões de pessoas no mundo inteiro, dentro e fora das igrejas.
E essa praticidade seria impossível se não fosse à ação do Espírito Santo, que de maneira ininterrupta, 24 horas nos ensina e nos recorda as palavras de Jesus, sem essa ação do Espírito Santo, a Sagrada Escritura e particularmente o Novo Testamento, não passaria de belos conceitos e fórmulas de “Como se Viver Bem” com a gente mesmo, com os outros e com Deus, uma espécie de manual com instruções práticas sobre um eletro doméstico, desses que deixamos empoeirar, esquecido no fundo de uma gaveta. O Espírito Santo não nos ensina algo novo e diferente do que Jesus nos ensinou, mas ele atualiza a palavra em nossa vida, dando-nos a resposta que precisamos diante de certos acontecimentos ou situações, que o Jesus Histórico não viveu, pois naquele tempo não tinha TV, Celular, Internet, avião, naves espaciais, tecnologia avançada, aborto, divórcio, violência, corrupção, tráfico de drogas, globalização, essas e outras coisas são realidades do nosso tempo, diante das quais, o ensinamento de Jesus tem sempre uma resposta que é atual e verdadeira, pela ação do Espírito Santo.
Mas o Espírito Santo só age em nossa vida se já tivermos ouvido e guardado a Palavra de Jesus, que é a Palavra do Pai, mesmo porque, as três pessoas da Santíssima Trindade nunca agem isoladamente, mas sempre juntas, em perfeita comunhão. O Espírito Santo não é apenas um lado de Deus, mas é Deus por inteiro e, portanto, não faz mágica, mas sua ação está intimamente ligada ao Pai e ao Filho. E o amor a Deus e ao próximo, é o sinal de que guardamos a Palavra de Jesus, é por isso mesmo que o evangelho coloca a prática desse amor como “Carro Chefe de Tudo”, porque todo o ensinamento de Jesus, suas palavras e obras, revelam ao homem essa Verdade absoluta que é o amor de Deus, e para estar nele com ele e com o Pai, não há outro caminho que não seja o do amor.
A presença de Deus em nós não está condicionada às práticas religiosas, grandiosas liturgias e arrebatamentos celestiais, mas a vivência do amor, porque a liturgia eucarística nada mais é do que a celebração do Amor que se encarnou no meio dos homens e quem faz do cristianismo, apenas o cumprimento de preceitos e práticas religiosas, fica apenas na teoria, sabe tudo, conhece tudo, mas não vive a principal verdade revelada por Jesus, que é o amor. Isso é tão claro para o evangelista João, que ele irá dizer para sua comunidade, que “Deus é Amor”. A Paz que Jesus dá ao mundo, a partir dessa verdade, não é a paz do comodismo, da ausência dos problemas, das dificuldades e desafios. Não existe uma comunidade assim, mas a Paz significa essa presença de Deus em nossa vida por isso o nosso coração não deve se perturbar nem ter medo.
Trata-se, portanto, de uma paz inquietante, que questiona e que busca algo de belo, na plenitude que só Jesus pode nos dar, é dom, mas também conquista ao mesmo tempo, está sujeita aos conflitos na relação com o mundo porque busca algo que o mundo não pode nos dar. O mundo quer nos convencer do contrário, mas quando amamos e guardamos no coração a Palavra de Jesus, podemos contar com o melhor de todos os advogados: o Espírito Santo, que nos transforma em evangelho vivo! ( Diácono José da Cruz – Paróquia Nossa Senhora Consolata – Votorantim SP – E-mail cruzsm@uol.com.br) )




sexta-feira, 29 de abril de 2016

Formigas de outros formigueiros-Alexandre Soledade

5 de Maio de 2016  - Quinta - Evangelho - Jo 16,16-20

Bom dia!
Certa vez, num pedaço de grama do jardim, um grupo de formigas resolveu fazer sua morada. Pragmáticas, construíram sua morada como aprenderam das suas antecessoras e das gerações e gerações de formigas que viveram por ali.
Era um jardim novinho, não havia nenhuma outra equipe de formigas por ali, pensaram então ser o lugar ideal para se instalar. Eles o chamaram de CENÁCULO
Durante três anos levantaram seus sonhos naquele jardim e ali também edificaram seus sonhos, colocaram seus ovos, procriaram, viram crescer inúmeras tocas.
Naquele formigueiro aconteciam coisas estranhas. Formigas machucadas voltavam a andar; cegas voltavam a enxergar e afirmam as saúvas mais velhas que viram formigas mortas ressuscitarem.
Formigas de outros formigueiros começaram a procurar aquele local em busca desse entendimento. Sua fama correu por locais inimagináveis.
No entanto, algo começou a perturbar aquela paz…
Pequenas crianças, jovens e adultos humanos que moravam por ali, sem motivo algum, começaram a “brincar” com suas tocas. Destruíam suas construções e com elas os seus sonhos. A brincadeira humana amedrontou muitos daqueles que vieram buscar a paz naquele local que então preferiram fugir, se esconder, correr…
Com a terra toda mexida e agora vulneráveis, temiam as chuvas que poderiam ser devastadoras para sua comunidade. Antes mesmo que pudessem reconstruir o previsível aconteceu – as chuvas vieram…
Pingos de chuva começaram a cair e o medo a cercar todo o formigueiro. A medida que a enxurrada aumentava viam seus móveis, alimentos e sonhos sendo levados para outros lugares. O cenáculo resistia a chuva, mas formigas temiam não agüentar…
A água em uma forte torrente arrastou todo o cenáculo para um canto do jardim.
A chuva parou e as crianças também voltaram. Pensaram que agora seria seu fim. “(…) vocês vão chorar e ficar tristes, mas as pessoas do mundo ficarão alegres. Vocês ficarão tristes, mas essa tristeza virará alegria”.
Estranhamente as crianças não vinham para destruir suas tocas como outrora. Criaram coragem, saíram da toca e viram que seu formigueiro estava alojado perto de um ninho de gansos. Barulhentos e corajosos não permitiam que as traquinagens das crianças destruíssem seu ninho e por conseqüência o das formigas.
As formigas festejavam e motivadas pela presença do GANSO voltaram a construir, pois agora só corriam risco quando formigas impetuosas mordiam os gansos e como consequência afastavam seu ninho da toca.
Uma formiga chamada “pedrisco” foi lá fora e gritou:
“(…) Então Pedro se levantou, junto com os outros onze apóstolos, e em voz bem alta começou a dizer à multidão: Meus amigos judeus e todos vocês que moram em Jerusalém, prestem atenção e escutem o que eu vou dizer! Estas pessoas não estão bêbadas, como vocês estão pensando, pois são apenas nove horas da manhã. O que, de fato, está acontecendo é o que o profeta Joel disse:. É isto o que eu vou fazer nos últimos dias? diz Deus?: Derramarei o meu Espírito sobre todas as pessoas. Os filhos e as filhas de vocês anunciarão a minha mensagem; os moços terão visões, e os velhos sonharão. Sim, eu derramarei o meu Espírito sobre os meus servos e as minhas servas, e naqueles dias eles também anunciarão a minha mensagem. Em cima, no céu, farei com que apareçam coisas espantosas; e embaixo, na terra, farei milagres. Haverá sangue, e fogo, e nuvens de fumaça; o sol ficará escuro, e a lua se tornará cor de sangue, antes que chegue o grande e glorioso Dia do Senhor Então todos os que pedirem a ajuda do Senhor serão salvos “. (Atos 2, 14-21)
Aquelas crianças malvadas agora de longe viam o formigueiro crescer sem nada poder fazer. Apelidaram o ganso que fez seu ninho onde as formigas pararam de ESPÍRITO SANTO e o seu bando de DONS.
No dia treze de maio, um povo se libertou de suas correntes. Negros que construíram uma grande parcela do que somos hoje. Pessoas que por vezes ainda não são devidamente reconhecidas apesar de anos e anos de escravidão.
Hoje, embaladas pela coragem das formigas, nos apeguemos ainda mais a presença do GANSO. Não há diferenças para Ele. TODOS estão próximos ao seu ninho.
Catequistas! Usem e abusem dessa estorinha de hoje! Foi inspiração de uma pequena formiga.
Um Imenso abraço fraterno